quinta-feira, 6 de junho de 2019

Faxinalense representará o Brasil na Agenda 2030 da ONU

O faxinalense Eduardo Augusto Mansano Manso, advogado que trabalha como assessor da Promotoria de Justiça da comarca de Grandes Rios irá representar o Brasil no Youth Assembly, evento que discute a agenda 2030 da ONU - Organização das Nações Unidas, em Washington-DC, nos Estados Unidos. A missão da Youth Assembly, é capacitar jovens para o desenvolvimento global utilizando as diretrizes de desenvolvimento sustentável estabelecidas pela ONU para a implantação da Agenda 2030. Eduardo foi selecionado como Jovem Delegado pelo órgão internacional, em decorrência de ter criado o projeto "Direito nas comunidades indígenas", que é responsável por levar, aos índios e suas aldeias, noções de direito e cidadania em todas as suas vertentes, através de aulas expositivas, palestras e intercâmbio de informações. Com ajuda da FUNAI (Fundação Nacional do Índio) e do Ministério Público do Estado do Paraná, o projeto tem levado conhecimento da letra da lei, a muitos índios e suas comunidades no Estado do Paraná, mas a intenção é ir além. "Eu estou muito feliz, jamais imaginava que um dia pudesse ter um projeto escolhido e ser o único brasileiro a representar o meu País em um evento da ONU. Com a participação na Youth Assembly, ampliarei conhecimentos sobre como resolver os problemas de ordem social e poderei contribuir ainda mais com o desenvolvimento de boas práticas", disse Eduardo em entrevista a Rádio Nova Era. "Isso é apenas o fruto da nova mentalidade da atual geração que está transformando o Brasil e o mundo e ser um dos representantes do Brasil, do Paraná e de Faxinal, nos Estados Unidos, é uma grande honra e responsabilidade. Isso prova de que nossa juventude é motivada, engajada, generosa e diferente de outras. Os povos indígenas não são invisíveis, pelo contrário, merecem todo o destaque e através do meu projeto terão voz na Agenda 2030 da ONU". Eduardo Augusto Mansano Manso, se formou em Direito pela UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, onde se tornou advogado e atualmente exerce o cargo de Assessor de Promotor de Justiça no Ministério Público do Estado do Paraná, na Comarca de Grandes Rios. Quando estava cursando a faculdade de Direito, Eduardo conta que conheceu um índio, João Kupe, no percurso entre sua cidade, Faxinal/PR, até a universidade e se interessou pelo assunto. O interesse foi tanto que se transformou no tema do seu TCC: Tutela Jurídica Indígena: Capacidade e Direitos Civis, o que, pela excelente colaboração de seus orientadores, obteve nota máxima e o trabalho foi para biblioteca. Foi então que criou o projeto inédito chamado: Direito nas Comunidades, que foi idealizado a partir da visualização de que os índios e suas comunidades têm o direito de assumir o controle de suas próprias instituições e formas de vida, seu desenvolvimento econômico, manter e fortalecer suas identidades, línguas e religiões, dentro do âmbito dos Estados onde moram, contudo, na atual conjuntura social, se verifica a existência de graves violações aos direitos humanos indígenas. Reafirmando o que diz a Convenção nº 169 da OIT, em diversas partes do mundo os índios não podem gozar dos direitos humanos fundamentais no mesmo grau que o restante da população dos Estados onde moram e que suas leis, valores, costumes e perspectivas têm sofrido erosão frequentemente. A viagem de Eduardo aos Estados Unidos, terá que ser bancada com recursos próprios do selecionado, por isso, seria importante que empresários, ou até mesmo empresas públicas ou privadas, pudessem ajuda-lo no sentido de patrocinar sua ida. Para saber mais ou enviar um e-mail para Eduardo, o endereço é eammanso@gmail.com
Fonte - Blog do Berimbau

Nenhum comentário:

Postar um comentário